Quando eu leio os Salmos uma das coisas que mais me chama a atenção é como nós somos encorajados, vez após vez, a colocar toda a nossa esperança em Deus, porque dEle vem o nosso auxílio e a nossa salvação.

Talvez, porque seja uma tentação muito grande, para todos nós, colocarmos a nossa esperança em algo ou em alguém.

Parece que estamos sempre esperando que algo diferente nos aconteça ou que alguém apareça e venha nos ajudar ou socorrer. Bom, isso é muito comum e humano. Ainda mais quando somos bombardeados, pela mídia, com imagens e histórias que nos sugerem isso a maior parte do tempo. 

A questão, porém, é que isso não cura a nossa ansiedade, os nossos medos, a nossa tristeza e nem a nossa angústia; pelo contrário, só os aumenta.

É aí que eu vejo o salmista me encorajando, enquanto encoraja a si mesmo, a colocar toda a sua esperança e expectativas, não em que algo super especial aconteça para mudar a sua vida, a sua história e o seu estado de ânimo, ou, mesmo, que alguém surja no meu caminho para trazer um novo sentido para as coisas; mas, sim, a colocar a minha esperança em Deus, em Seu amor, favor e bondade. 

As pessoas podem ser minhas amigas e isso é bom, mas elas não podem ir além do que qualquer ser humano pode ir. Elas podem até mesmo me amar e me querer muito bem, mas elas tem seus próprios limites e fraquezas.

Até os jovens se cansam e ficam exaustos, até eles tropeçam e caem, mas os que esperam no Senhor, diz a Bíblia, renovarão as suas forças. Ou como disse o profeta: “Não há outro Deus além de ti que trabalha para os que nEle esperam”.  Pare e pense sobre isso.

Esperar em Deus é a escolha de quem sabe que o homem pode e deve trabalhar edificando e construindo, mas se o Senhor não for o grande edificador e construtor,  tudo é em vão. É a escolha de quem sabe que a sentinela pode e deve vigiar a cidade, mas se o próprio Senhor não vigiá-la, tudo é em vão.

Nós trabalhamos, semeamos, estendemos as mãos, investimos, vigiamos, servimos, fazemos o que é nossa responsabilidade fazer; mas o toque que dá vida a tudo é o toque de Deus. Como disse Jesus: “Sem mim nada podeis fazer”.

Como diz o hino que Paulo Brito canta: “Se vens, o nada em tudo se transforma”. Ou como disse o salmista: “Elevo os meus olhos para os montes. De onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor que fez os céus e a terra”.

É aí que eu encontro, vez após vez, nos Salmos, expressões como: “Eu espero em Deus. A minha alma o aguarda. Eu espero na Sua Palavra”.

Eu espero em Sua graça e em Seu favor que não se compra, que não se merece e nem se conquista. Espero, como escreveu o salmista, até que Ele tenha misericórdia de nós. Porque não depende de quem corre e nem de quem quer, como escreveu Paulo, mas de Deus usar de miserícórdia. Porque tudo que eu recebo dEle é fruto do Seu amor que foi provado na cruz quando Jesus entregou Sua vida em nosso lugar.

É por isso que o salmista diz para a sua própria alma aflita, perturbada e ansiosa: “Coloque toda a sua esperança em Deus. Ele é o teu Salvador e o teu Deus”.

Esperança não é uma palavra muito usada em nossos dias. Mas é o oxigênio da nossa fé. Porque a fé é a certeza das coisas que se esperam. E os únicos três dons que vão permanecer para sempre são a fé, a esperança e o amor. Não esperança em algo ou em um ser humano, mas em Deus, em Jesus e em Sua Palavra.

Que tal colocarmos toda a nossa esperança no Senhor? Mesmo quando a alma está aflita, mesmo quando o dia foi difícil, mesmo quando o coração aperta e você sente vontade de chorar, mesmo quando você não encontra as respostas ou sabe qual o caminho que deve seguir. É uma escolha que só você e eu podemos fazer.

É a escolha de falar com Deus e dizer: “Senhor, eu espero em Ti. A minha confiança está em Ti. Eu dependo de Ti”.

Que tal fazer isso, hoje?

Pr. Paulo Cardoso

Anúncios