You are currently browsing the tag archive for the ‘conversão’ tag.

em_construcao

Atos 9:1 a 20

Eu que sou uns dos maiores acusadores da programação da televisão, começo citando um programa que passa pelas seis da tarde, um dos únicos programas que assisto além dos filmes de terror. O programa é o Extreme Makeover: Reconstrução Total. Ele faz algo parecido com o programa do Luciano Huck, escolhem pessoas vítimas de alguma catástrofe (furacão, guerra do Iraque, etc) nos EUA que se inscrevem no programa através de uma carta e reforma a casa. A família escolhida é questionada com o tipo de casa que queria ter, e durante a reforma a família vai passear em algum lugar (Caribe, Europa, etc).

Os trabalhadores destroem praticamente a casa toda e constroem uma nova em sete dias. A volta da família ao lar é empolgante, fica um ônibus na frente da casa pra fazer um suspense e a surpresa. O apresentador fala:” Se vocês gostaram por fora, espera pra ver por dentro.” Entre os arquitetos do programa existe um chamado Ty que desenvolve o Projeto do Ty , ele escolhe uma pessoa que se destaca na família por algum motivo e faz o projeto mais cuidadoso e especial.

Muitas vezes para que algo novo possa se estabelecer é preciso destruir o antigo. Outra coisa que podemos aprender é que tem sempre um projeto que é especial, a ele é devotado um brilhantismo (projeto do Ty). Você já pensou que Deus tem um projeto especial pra você que é diferente do tipo de relação que tem com Ele atualmente? É um Extreme Makeover da nossa vida, uma reconstrução total.

REPENSANDO A CONVERSÃO

Quero falar de uma palavra que usamos muito no meio evangélico, porém de maneira equivocada, a palavra conversão. Geralmente usamos para um evento, para nos referir ao dia específico que nos convertemos. Eu acredito que conversão é um projeto muito mais demorado do que isso, ele começa no dia que temos um encontro com Cristo, mas vai até a volta de Cristo. Então é preciso repensar essa conversão.

Paulo foi o maior missionário que já existiu. Esse texto (Atos 9: 1 a 20) nos mostra quais as características de uma genuína conversão, apesar de doutrinário ele dá as nuances de uma verdadeira conversão. E isso serve para nós questionarmos a nossa conversão. Todos nós precisamos fazer esse exercício independente do tempo de batismo e profissão de fé.

O que acontece comigo quando eu estou nesse processo chamado conversão?

1.Torna-me ENSINÁVEL (vs.10)

Paulo acabou de cair do cavalo, mas ainda precisa ser ensinado, doutrinado. O interessante é que aquele terrorista se torna alguém disposto a aprender. Precisamos nos tornar aprendiz, e essa é uma das características inegociáveis da conversão.

Miguel Zuguer foi terrorista religioso que destruiu ônibus com freiras e crianças. Certo dia ele foi pra Argentina reunir candidatos a terroristas na America Latina a fim de levá-los para o Iraque. E andando pela Argentina ele viu um lugar escrito “Casa de Oração”, entrou pensando ser uma mesquita e ali ele se converteu. Por causa disso precisou ser escondido, pois foi perseguido. Posteriormente se casou com uma brasileira em Belo Horizonte. Ele gostava muito de ficar com as crianças e aprender com elas porque ele já tinha perdido muito tempo com o terrorismo e não tinha sido criança. “Eu fico com a pureza da resposta das crianças”.

Precisamos ser um eterno aprendiz do Senhor. Você para pra ouvir quem diz sim e não pra você? Você está sob a autoridade espiritual de alguém? Quanto perto de Jesus você esta? Porque quem está perto de Jesus é ensinável. Interessante como gente nova na Fé quer aprender e gente velha na Fé acha que sabe tudo. Ser ensinável faz de você alguém que está se convertendo gradualmente ao senhor.

2.Torno-me REFLEXIVO (vs. 9)

Paulo ficou três dias sem ver,sem beber e sem comer. Eu imagino que ele não tenha falado, tenha ficado refletindo sobre aquilo que acabara de lhe acontecer, o processo tinha acabado de começar na vida dele. Paulo só queria aquela presença, aproveitar daquela sensação de êxtase, ele não trocava aquilo por nada nem por uma refeição. Esse é um tempo de avaliação e arrependimento, de aprender as disciplinas espirituais, tempo para pensar na nossa própria relação com Deus. Há quanto tempo você não pára pra questionar sua relação com Deus? Há quanto tempo não pára pra dar uma volta com Deus?

“Fazer da queda um passo de dança”

3. Torno-me RELACIONAL (vs.17)

Pela primeira vez Paulo escuta a palavra irmão como redimido. Há uma força nessa atribuição de fraternidade, ela significa que eu e você independente das nossas diferenças e preferências temos o mesmo DNA, porque o mesmo sangue foi derramado através de Cristo Jesus, porque esse mesmo sangue corre na nossa veia. É por isso que não dá pra brincar com essa palavra; eu imagino o impacto que essa palavra deve ter causado na vida de Paulo, e também na vida de Ananias quando disse isso pra um ex – terrorista. Eu não acredito na conversão à parte da Igreja de Cristo, fora dos limites dos irmãos da fé independente do formato que ela tenha. Fora da comunidade da Fé tenho dificuldade de crer que a conversão possa se cultivar. É por isso que apesar de tudo que vivemos eu acredito na Igreja e sou Igreja enquanto Deus me der força pra ser Igreja.

4.Torno-me SENSÍVEL (vs. 18)

Paulo sofreu pelo evangelho. A conversão da maioria de nos é muito parecida com a de Saulo: em algum ponto da sua vida você caiu do cavalo, viu uma luz, percebeu que era cego e passou a ver, foi ensinável, reflexivo, relacional. Geralmente a nossa conversão vai até esse ponto, poucos são os que se convertem suficiente ao ponto de serem capazes de morrer em nome de Cristo, de se tornar sensível. A história de Paulo gira em torno da sensibilidade de Paulo ao chamado de Deus. Tenho certeza que você tem um chamado de Deus, mas nos costumamos recusá-lo.

Nenhum de nós foi chamados para estar na igreja, todos fomos chamados para nos abastecer na igreja e sermos cristão fora da igreja. A verdadeira conversão sabe do propósito de amar a Deus e gozá-lo para sempre. Tem gente que é convertida até certo ponto, mas tem gente que é sensível a fazer a obra de Deus.

Deus tem uma proposta de conversão tão integral que não dá pra ver o outro lado, mas nós preferimos aquela limitada, embairrerada. É como se o Ty (apresentador do programa Extreme Makeover) gritasse que vai te dar uma casa nova e você dissesse que só vai querer reformar a cozinha.

Deus te convida a abdicar da sua vida e escolher a vida de Cristo, a não se contentar com um lago, quando ele tem o Mar para oferecer.

Rev. Mário Henrique  

* Mensagem ministrada na Semana da Juventude 2009 da Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro, cujo tema principal é “Desculpe o transtorno, estamos em obras”

Anúncios

capacete feliz

O que você tem hoje, todo o seu dom e talento é para ser usado hoje em prol do reino.  Deus não vai precisar dos seus serviços no céu. Se você é um advogado Ele não vai precisar de um no céu, pois Jesus será nosso advogado, se você é um arquiteto, Deus é o grande arquiteto.

Em uma viagem a África encontrei um bichinho e resolvi trazer e dar um nome a ele, chamando de Rock. (Rock é um animal de pelúcia, ele brinca com rock)

Quem faz o rock ter vida são as minhas mãos, precisamos nos entregar e nos converter. Conversão é deixar que Deus trabalhe na sua vida.

“No princípio Deus criou todas as coisas…” Deus desenhou o homem, criou com suas próprias mãos, Ele planejou. Deus tinha um propósito para sua criação.

Um dia Deus encontrou o homem triste, Deus tinha um plano maravilhoso para a vida do homem, então Deus retira da costela do homem a sua matéria prima para a criação de uma companheira. O homem e a mulher estavam felizes no Éden. Deus então disse que tudo eles poderiam fazer, menos comer do fruto proibido, porém o homem desobedeceu a Deus destruindo tudo o que Deus construiu para ele, então o plano maravilhoso de Deus, o projeto que Deus tinha para o homem foi destruído pela ganância do homem. Deus criou o homem para ter alegria, paz, esperança, mas pela desobediência, o homem passou a andar triste e cabisbaixo.

Deus ainda quer executar o Seu plano maravilhoso, por isso enviou seu filho unigento para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Jesus veio para realizar novamente este plano na sua vida, reconstituir a sua alegria.

A criatura só se sente completa quando encontra o criador.

Jesus leva sobre si todos os nossos pecados para restaurar a sua esperança, Ele morreu, mas ao terceiro dia Ele ressuscitou. Ele que foi castigado, humilhado, pisado pelas nossas transgreções, morreu, mas ressuscitou. Muitos líderes morreram, mas Jesus foi o único que ressuscitou e é a nossa esperança.

Deus tem um projeto e todos fazem parte deste plano e deste projeto de Deus. Jesus morreu por todos nós sem exceção, mas ele trabalha em nós individualmente. O plano que ele tem para sua vida é maravilhoso, é lindo, basta que você permita ele agir. Deus não rejeita um coração contrito e quebrantado. Entregar a vida a Jesus tem que vir com quebrantamento e rendição.

A crise do mundo não é financeira e sim entender qual o sentido da vida, muitos andam com medo e sem esperança, mas Jesus morreu por você para restaurar a sua esperança.

Muitos freqüentam a igreja hoje mas estão longe da casa do pai. A igreja é um grande campo missionário.

Deus dá uma nova oportunidade para o homem, vale apena confiar em Deus e permitir que Deus trabalhe em sua vida, você só tem que descansar, e o plano de Deus se realizará em sua vida.

Miss. Paulo César (Palhaço Paulinho) – Mocidade para Cristo (MPC) 

* Mensagem ministrada na Semana da Juventude 2009 da Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro, cujo tema principal é “Desculpe o transtorno, estamos em obras”

planta

Se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. (1 Coríntios 5.17)

O ponto de partida para o crescimento espiritual é a transformação de vida pelo poder do evangelho. Para isso, é preciso ter arrependimento, fé e conversão. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham, assim, os tempos do refrigério pela presença do Senhor (Atos 3.19). Pela graça sois salvos, por meio da fé (Efésios 2.8).

A fé é a condição para que você possa chegar a Deus. Quando alguém entrega sua vida a Cristo por arrepender-se dos pecados e crer que Jesus é o Salvador, então se converte aos princípios do evangelho, gerando uma mudança radical, que a Bíblia chama de novo nascimento (João 3.4-6).

Como é que a gente sabe se alguém teve um encontro real com Cristo e foi transformado em nova criatura? Não é por causa do terno e da gravada nem da Bíblia debaixo do braço; é pela transformação: um novo pensar, um novo sentir e um novo agir. Se a pessoa não mudar a mentalidade, não pode ter seus sentimentos e suas atitudes mudados. Se houver um novo modo de pensar, haverá mudanças de sentimentos. O ódio, a mágoa e a vingança dão lugar ao amor, ao perdão e à bondade. Com a mudança do modo de pensar e de sentir, ocorre a mudança de atitude. Sem isso, não há transformação na vida, porque o evangelho modifica as crenças e os valores do ser humano — isto é o ponto de partida para um crescimento espiritual.

Para que você possa ter um crescimento real, sem anomalias, deve crescer proporcionalmente na graça e no conhecimento (2 Pedro 3.18), usando os meios disponíveis — a oração, a leitura da Palavra, a comunhão com o Corpo de Cristo, a evangelização, as experiências com Deus no dia a dia e a mordomia, o serviço cristão — para aproximar-se de Deus e ser transformado por Ele.

Em Colossenses 3.1-15, vemos algumas etapas do processo de crescimento espiritual. Já no versículo 1, Paulo diz: Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima. Para ressuscitar com Cristo, é necessário morrer para o pecado e para o mundo. Depois, é preciso buscar e pensar nas coisas que são de cima (v.1,2). É assim que é iniciado o processo, pelo que domina a mente. Então, vem as etapas seguintes: fazer morrer os desejos da carne (v. 5) e revestir-se de entranhas de misericórdia, benignidade, humanidade, mansidão, longanimidade (v. 13).
Deus, por intermédio de Seu Espírito, ajuda-nos, mas é a decisão de entregar-se a esse processo é nossa. O cristão precisa despir-se do velho homem e amar com amor genuíno, sacrificial. Ele tem de arrancar defeitos e plantar virtudes divinas no coração. Caso contrário, poderá atrapalhar seu crescimento espiritual. Se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis (Romanos 8.13).

Para que não sejamos meninos inconstantes, levados por todo vento de doutrina, Paulo mostrou a importância de alcançar um padrão elevado na vida espiritual, a unidade da fé, o conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, a medida da estatura completa de Cristo (Efésios 4.13). Este é o último estágio de crescimento do cristão; é alcançar imagem gloriosa de Cristo.

João lembrou: Agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos (1 João 3.2). Chegará o dia em que seremos espiritualmente semelhantes a Cristo e viveremos no céu, num lugar onde não haverá mais pecado, erro, dor, doença, morte, na presença de Deus. Então, veremos Jesus como Ele é.

Vale a pena buscar o crescimento espiritual e participar de todo este processo de amadurecimento cristão, mesmo que haja percalços e pressão do diabo. Seja firme, constante e abundante na obra do Senhor. Almeje ser a cada dia um crente melhor. Se cair, saiba que Deus irá levantá-lo, sustentá-lo e elevá-lo a patamares superiores.

Mas lembre-se de que Deus não nos dá algo porque acha que somos mais bonitos ou educados do que outros irmãos. Existem níveis, etapas, que eu e você temos de esforçar-nos para alcançá-los. Vamos, então, crescer para que o nome do Altíssimo seja louvado e engrandecido em nossa vida e por meio dela. É tempo de crescer! Receba esta palavra e que o Senhor o abençoe e o faça prosperar em todas as áreas!

Pr. Silas Malafaia – Assembléia de Deus na Penha (RJ)

Anúncios