You are currently browsing the tag archive for the ‘fidelidade’ tag.

amanhecer1

As promessas do Senhor são confiáveis e infalíveis. Entretanto, muitas pessoas que enfrentam situações difíceis enquanto esperam que aquilo que Deus prometeu cumpra-se em sua vida, costumam perguntar: “Por que as promessas do Senhor não se realizam da maneira como desejamos, e no tempo que achamos ideal, propício?”. Elas não entendem porque às vezes as circunstâncias caminham na contramão das vitórias que Deus prometeu.

Quando você estiver passando por adversidades, lembre-se de que “todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados pelo seu decreto” (Romanos 8.28).

Mesmo que a vida delineie diante de você um panorama de adversidades, de contradições, de situações conflitantes e difíceis, mantenha-se firme na fé, jamais duvide das promessas e da fidelidade do Senhor.

Continue confiante no plano de Deus para sua vida, mesmo sentindo que uma forte ventania e uma grande tempestade o têm envolvido. De acordo com as promessas de Deus, era para estar soprando uma brisa suave. Mas não se deixe abalar. Se o vento é fortíssimo e atrapalha a sua caminhada, não se esqueça de que você tem promessas de Deus, e que Suas promessas não falham. Tudo o que está acontecendo agora é circunstancial, é momentâneo. As dificuldades cessarão.

Mesmo que você esteja debaixo da correção de Deus, não deve esquecer que o Senhor é bom, e que as suas misericórdias duram para sempre. O salmista Davi nos chamou a atenção para isto:

“Porque não passa de um momento a sua ira; o seu favor dura a vida inteira. Ao anoitecer pode vir o choro, mas a alegria vem pela manhã” (Salmos 30.5-6, ARA).

As promessas do Senhor são infalíveis. Espere com fé, pois Ele não se esqueceu de você. Em Isaías 55.8, o Senhor diz:

“Porque os meus pensamentos são mais altos do que os vossos pensamentos”. (Isaías 55.8)

As circunstâncias adversas que surgem antes que as promessas de Deus se cumpram têm que ser consideradas segundo a ótica de Deus, e não segundo a visão limitada do ser humano. Não sabemos nem temos a capacidade de pensar como Deus. Somente após uma entrega total de nossa vida a Jesus é que poderemos “ter a mente de Cristo” (1 Coríntios 2.16). Só então entenderemos porque a vontade de Deus prevalece acima das contradições da vida.

Pr. Silas Malafaia – Assembléia de Deus na Penha (RJ)

* Trecho da mensagem A vontade de Deus e as contradições da vida, pregada no 11º Congresso Pentecostal Brasileiro Fogo para o Brasil.

Anúncios

amanhecer1

Rute 2:1-23

 

De acordo com a lei de Moisés, o estrangeiro e o pobre poderiam colher o que sobrasse (caísse no chão), da colheita feita pelos servos dos fazendeiros. Rute foi a um campo, sem saber de quem era, e trabalhou muito, colhendo das sobras das espigas colhidas pelos servos de Boaz, que, ao chegar da cidade, viu aquela desconhecida e perguntou aos seus servos quem ela era, e descobriu que ela era moabita e que havia deixado sua família, deuses, e nação, por amor a Noemi e ao Deus de Noemi. Essas informações mexeram com o coração de Boaz, e ele a beneficiou, tratando-a com muito mais honra do que se esperava.

 

Rute achou estranho tudo aquilo, então perguntou a Boaz por que ele a tratava daquela maneira, e sua resposta foi: “… O Senhor retribua o teu feito, e seja cumprida a tua recompensa do Senhor Deus de Israel, sob cujas asas vieste buscar refúgio.” (Rute 2:12)

 

Aos olhos do mundo, pode parecer que somos loucos quando agimos por fé. Às vezes, podemos parecer insanos quando decidimos seguir a vontade de Deus, abrindo mão de nossa própria vontade, ou de vantagens significativas desse mundo. Até mesmo pela família da fé, de vez em quando somos considerados irresponsáveis ou confusos, quando tomamos a decisão de seguir pelo caminho estreito.

 

As palavras de Boaz, porém, deveriam servir de consolo e de encorajamento para nós, filhos e filhas de Adão, que decidimos buscar refúgio sob as asas do Deus de Israel.

 

Por mais difícil que seja, por mais incerto que pareça ser o nosso futuro, por mais preocupante que seja a nossa situação financeira, por mais crítico que seja o nosso estado de saúde, por mais perigosa que seja a nossa jornada, quando nos refugiamos sob as asas do Deus Altíssimo, estamos realmente seguros e protegidos.

 

O feito de Rute não chamou a atenção de Boaz, mas do Deus de Boaz.  Deus direcionou Rute para aquele campo, e direcionou Boaz, para que lá estivesse, o que nem sempre acontecia. O Deus de Boaz queria recompensar a fé, a determinação, a fidelidade e o altruísmo de Rute, e foi o que Ele fez.

 

Quando Deus recompensa:

 

Ele nos permite ver os frutos do nosso trabalho. Ele multiplica o pouco que Lhe demos. Ele cuida de nós diante dos inimigos. Ele nos ampara quando estamos desamparados. Ele nos fortalece quando estamos fracos. Ele cura nossas doenças. Ele nos honra quando nos humilham. Ele é Bondoso quando a maldade ronda nossas casas. E se isso não bastasse, Ele ainda guarda para a eternidade de recompensas que nem podemos imaginar.

 

Pense:

 

Vale a pena dedicar e consagrar nossas vidas ao Senhor, porque, quando Deus recompensa, veremos a Sua poderosa mão agindo em nosso favor.

 

Tuta Moraes (Irmão.com)

Anúncios