You are currently browsing the tag archive for the ‘Gospel’ tag.

grande_deus

“A ti, ó Deus, confiança, e louvor em Sião!” (Salmo 65:1)

Assim Davi começa seu salmo de louvor a Deus. Um salmo de uma beleza arrebatadora que consegue em seus treze versículos resumir, de forma majestosa. toda a essência da mensagem bíblica.

Agora, não há como ler as palavras que Davi pronuncia diante de Deus, seja em oração ou em canção; e não ser remetido à história de sua própria vida.

Pense em alguém que passou anos e anos escondendo-se pelas cavernas do deserto. Alguém que teve que refugiar-se até mesmo na terra de seus próprios inimigos. Na verdade, houve um tempo, em que era mais seguro para ele, estar na terra de seus adversários declarados, do que na de seus falsos admiradores.

De algum modo, els sobreviveu aos seus desertos para reinar sobre uma nação. Sobreviveu ao seu momento para viver o seu destino. Passou por perigos, enfrentou privações, administrou crises, perseverou através de noites escuras; mas, chegou do outro lado, pela graça de Deus.

Não é à toa que ele começa seu salmo dizendo: “A ti, ó Deus. confiança e louvor em Sião!”. Se algo, Davi havia aprendido, havia sido a confiar em Deus. Em meio a todas as suas lutas e lágrimas, ele sabia que Deus era fiel às Suas promessas. Ele sabia que aquilo que Deus prometia, Ele cumpria. Na verdade, o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.

Ele continua e diz: “ó Tu que escutas a oração, a Ti virão todos os homens”.

Será que podemos compreender que nenhum de nós ainda estaria aqui, não fosse a misericórdia de Deus? Ele é o Deus que escuta a oração. É o Deus que ouve o clamor do aflito. Ele é aquele que antes que clamemos, nos responde; e quando ainda estamos falando, nos ouve.

Isto não encoraja você a orar? Não incentiva você a derramar seu coração diante dEle, sabendo que Ele é digno de confiança e que Ele está ouvindo o seu clamor?

Mas, ele não para aí, mas continua discorrendo sobre a natureza do Deus em quem cremos.

Ele é um Deus perdoador, que nos satisfaz com a bondade da sua casa. Um Deus que nos responde com tremendos feitos em Sua justiça. Ele é o nosso Salvador e a esperança de todos os confins da terra e dos mares longínquos. Ele é o que consolida os montes, que aplaca o rugir dos montes e o tumulto das gentes. Ele é aquele que nos faz exultar de júbilo; aquele que visita a terra e a rega, o que a enriquece copiosamente. Ele é o que coroa o ano de Sua bondade e cujas pegadas destilam fartura.

Pode você pensar em quão grande e maravilhoso é o nosso Deus? Ele é um grande Deus. Não o Deus que a religião nos apresenta; mas alguém que nos amou até as últimas conseqüências. Na verdade, nós O amamos, porque Ele nos amou primeiro.

A história da minha caminhada com Ele não começou por iniciativa minha, mas dEle. Ele me buscou. Ele me achegou a Si. Ele me atraiu. Ele me escolheu. Ele se entregou por mim. Na verdade, o salmo diz: “feliz aquele a quem escolhes, e aproximas de ti, para que assista em teus átrios: ficaremos satisfeitos com a bondade de tua casa – o teu santo templo”.

Talvez, este seja um tempo difícil para você. Quem sabe você tem tido que viver um dia de cada vez, um dia por vez. Pode até ser que você nem mesma consiga compreender o que está acontecendo em sua vida; mas, nunca esqueça algo: Deus é por você! E se Deus é por nós, quem será contra nós?

Eu sei que você pode estar se sentindo enfraquecido, mas isto vai passar. Deus está no controle de todas as coisas. Ele ama você demais para deixá-lo neste momento. Na verdade, Ele nunca está tão perto do que nos momentos mais difíceis de nossa vida. Apenas, faça como Davi e olhe para Deus com confiança. Ele é poderoso para terminar a obra que começou em sua vida. Nada que Ele iniciou irá ficar inacabado. Deus mesmo vai cuidar de você.

Na hora da luta, nossa tendência é ver o tamanho de nossa dificuldade; pensar na demora para chegar o amanhecer; mas, se há algo que pode nos ajudar é lembrar a grandeza do nosso Deus.

Hoje, você pode estar chorando; mas você ainda vai voltar a sorrir e a celebrar como fez Davi. Na verdade, agora mesmo, no meio da luta, podemos levantar nossa voz e exaltá-lo, porque Ele ainda reina. Ele é um grande Deus.

Se Ele pode consolidar os montes, Ele pode fortalecer a minha vida. Se Ele pode aplacar o rugir dos mares, Ele pode aplacar o rugir das lutas que se levantam em meu caminho. Se Ele pode visitar a terra e regá-la, Ele pode regar a minha vida e fazê-la crescer para a Sua glória. Se Ele pode abençoar os campos, Ele pode abençoar a sua e a minha vida. E Ele o fará, por causa de Sua bondade e misericórdia.

Pr. Paulo Cardoso – Igreja Encontro com a Vida – Tijuca (RJ)

Anúncios

luz-mao

O título é uma alusão ao que o Senhor Jesus certa vez disse aos discípulos. Eles não compreendiam os fatos. Eram-lhes obscuros. O Mestre cuidou de aquietar-lhes a alma e assegurar-lhes que, adiante, tudo ficaria claro.

Quantas vezes não é assim em nossa vida pessoal? Não conseguimos discernir o que acontece ao nosso redor ou conosco mesmo, e perdemo-nos em conjecturas extemporâneas, absurdas, sem saber aonde chegaremos ou quais serão os resultados.

Vemos as incompreensões, acompanhamos as injustiças, submetemo-nos aos julgamentos alheios precipitados e sem nenhum fundamento nos fatos, para, então, perguntarmos: “por que, Senhor?”

Por outro lado, há ocasiões em que Deus nos conduz pelo vale estreito sem que vislumbremos o que há depois da próxima curva. Parece que vamos cair no precipício. Ficamos inconformados com muitas coisas permitidas por Deus. Queremos respostas, mas não as temos. Foi o que Jó experimentou em sua vida pessoal. O que ouvia de Deus era o silêncio.

Mas assim como o patriarca atravessou o vale e então compreendeu a sua história, não será diferente conosco. Descansemos no Senhor. Esqueçamos as incompreensões. Não nos tornemos amargos com as injustiças. Amanhã saberemos por que temos passado por tudo isso.

O que faço agora, diz o Senhor, você entenderá depois.

Pr. Geremias Couto (Escritor, jornalista, conferencista, autor do livro “A Transparência da Vida Cristã”, um estudo teológico-devocional sobre o Sermão do Monte, comentarista da revista “Lições Bíblicas” para a Escola Dominical, publicada pela CPAD, pastor evangélico, presidente da Omega Mission Ministry, Inc, membro da Casa de Letras Emílio Conde, editor pela CPAD da Bíblia de Estudo Pentecostal, verbete do Dicionário do Movimento Pentecostal e Coordenador Nacional do projeto Minha Esperança, realizado no Brasil pela Associação Evangelística Billy Graham em parceria com as igrejas evangélicas, e Representante Nacional da mesma organização no Brasil).

sonhos

Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do Senhor para todo o sempre” 

Salmos 23

Esta deve ser uma das frases mais doces já escritas. Ler este versículo é abrir uma caixa de jóias. Cada palavra cintila e implora implora para ser examinada diante de todas as dúvidas: bondade, misericórdia, todos os dias, habitar na casa do Senhor para sempre. Elas devastam nossas incertezas como uma equipe da SWAT faz com um terrorista.

Olhe para a primeira palavra: certamente. Davi não disse “talvez”, ou “provavelmente”. Ele acreditava em um DEUS seguro, que faz promessas seguras e oferece uma base segura. Davi teria amado as palavras de um de seus descendentes, o apóstolo Tiago. Ele descreveu DEUS como AQUELE “em quem não há mudança, nem sombra de variação” Tg 1:17.

ELE é um DEUS seguro, e porque ELE é um DEUS seguro, podemos declarar confiantemente: “Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida” E o que vem depois da palavra CERTAMENTE? “bondade e a misericórdia”. Não apenas bondade, porque somos pecadores necessitamos de misericórdia. Não apenas bondade, porque somos frágeis, necessitamos de bondade. Bondade para prover, misericórdia para perdoar.

Bondade e misericórdia, a escolta celestial do rebanho de DEUS. Se essa dupla não reforça a sua fé, tente esta frase: “todos os dias da minha vida”. Que imensa declaração. Bondade e misericórdia seguem os filhos de DEUS a cada dia, e todos os dias! Pense nos dias que ainda virão. O que você vê? Seja lá o que você prevê, bondade e misericórdia te seguirão.

E o que ELE fará durante estes dias? ELE irá SEGUIR com você. Que modo surpreendente de descrever DEUS! Estamos acostumados a um DEUS que permanece num lugar, um DEUS entronizado. Davi, no entanto, visiona um DEUS móvel e ativo. Um DEUS que nos persegue, que vem em nosso rastro com “bondade e misericórdia”.

DEUS é o DEUS que segue. Se assim é, livre-se das suas dúvidas. Não mais se sobrecarregue com elas. Você pode confiar em DEUS. Confie em sua fé, não em seus sentimentos. Você não se sente espiritual todos os dias? Claro que não. Mas, seus sentimentos não tem impacto sobre a presença de DEUS. Nos dias em que não se sentir perto de DEUS, fie-se na sua fé e no que ELE é.

Max Lucado – livro “ALIVIANDO A BAGAGEM”, Ed CPAD

Namorado-duvida

Muitas pessoas carregam no coração uma grande dúvida com relação à vida sentimental. Ou seja, como saber se esta ou aquela pessoa é a que Deus separou para mim? Como saber se este namoro é de Deus? Venho fornecer algumas dicas a este respeito. São dicas baseadas em experiências e orientações contidas na Palavra de Deus.

1ª dica – Os Frutos – Como disse Jesus, uma boa árvore se conhece pelos frutos “Portanto, pelos seus frutos o conhecereis” (Mateus 7:20). Assim, veja se o rapaz ou a moça é um servo de Deus, analise o seu comportamento, a sua vida com o Senhor. Cuidado, pois existem muitos lobos vestidos de ovelhas.  Certa vez eu namorei um rapaz e chegamos a ficar noivos. No começo ele me acompanhava no trabalho da igreja. Depois que ficamos noivos, disse que precisávamos dar um tempo da igreja e começou a querer me impedir de exercer meu ministério. Ou seja, começou a apresentar maus frutos. Eu então decidi terminar o namoro embora gostasse muito dele. Melhor fazer a vontade de Deus do que fazer a vontade dos homens, não é mesmo? Assim, ao namorar alguém precisamos verificar com atenção os seus frutos.  É preciso tomar cuidado quanto a isto, pois muitas vezes, por estarmos envolvidos sentimentalmente, não prestamos a atenção neste aspecto. Criamos uma certa ilusão e nos esquecemos de analisar os frutos da pessoa. Por este motivo, analise friamente os frutos da pessoa que está se envolvendo. Veja a sua vida na igreja e especialmente em casa, se é um bom filho ou boa filha, analise também o seu comportamento profissional, etc.  É muito fácil ser cristão na igreja, os verdadeiros frutos são revelados no dia a dia, nos bastidores.

2ª Dica – A paz – A Palavra de Deus diz que a “paz” deve ser o árbitro em nossos corações “Seja paz de Cristo o árbitro em vosso coração” (Col. 3:15). O árbitro é aquele que resolve uma questão, que direciona. Ou seja, a paz deve ser o indicativo se o relacionamento é ou não da vontade de Deus. Assim, se o namoro é algo que rouba paz, que leva a pessoa a ficar  distante de Deus, que traz inquietação, perturbação, cuidado pois há algo de errado. Lutas e obstáculos sempre existirão, enfim, lutas externas e até desentendimentos esporádicos causados por diferenças de opiniões. Todavia, se o relacionamento rouba a sua paz interior, especialmente a sua comunhão com Deus é um grande indício que de o Senhor não está nesse relacionamento.

3ª dica – É paixão ou amor? – Um outro aspecto relevante é questão da diferença entre amor e paixão. Às vezes nos envolvemos numa paixão e nos machucamos achando que é amor. Paixão é algo avassalador, que nos leva a perder a razão, a lógica e até o temor de Deus. O amor, ao contrário, já é um sentimento maduro, consciente, nasce aos poucos, se desenvolve com o tempo e vai se fortalecendo diante das dificuldades. A paixão á algo passageiro, não resiste à distância, esfria, não espera. O amor, ao contrário, permanece “o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera e tudo suporta” (I Cor. 13:07). O amor sabe esperar o momento certo para o sexo (o casamento). A paixão não, pois é pura emoção. Para exemplificar esta questão, cito, como exemplo, o sentimento de Amnon por Tamar (II Samuel 13) e o sentimento de Jacó por Raquel (Gênesis 29).  Amnon se apaixonou por Tamar, sua irmã.  Após ter tido relações sexuais com ela, a deixou friamente.  Quantos jovens abandonam moças grávidas após satisfazer os seus desejos sexuais?! Jacó, por sua vez, amou a Raquel e o seu amor o fez esperar 7 anos até finalmente tê-la em seus braços. Além disso, trabalhou mais 7 anos para poder estar ao lado de sua amada definitivamente.

4ª dica – Enriquecimento – A Palavra de Deus afirma que a benção do Senhor enriquece e não acrescenta dores (Prov. 10:22).  O namoro que é da vontade de Deus traz um enriquecimento mútuo. Ou seja, traz um enriquecimento na área espiritual, profissional, familiar, etc. Deus que ama e cuida de nós certamente colocará alguém em nosso caminho que nos abençoe, que tenha algo de bom a acrescentar em nossa vida, que nos ajude a dar continuidade aos nossos sonhos.  Lamento muito quando vejo jovens se envolvendo sentimentalmente com pessoas que nada têm a acrescentar em suas vidas. Ao contrário, são pessoas que surgem para roubar a paz, o futuro e para trazer dor e destruição. O namoro, em caso como estes, se torna um verdadeiro sofrimento.

5ª dica – Convicção – Jesus certa vez disse que a palavra do cristão tem de ser sim, sim ou não, não e que tudo o que passar disso é de procedência do maligno (Mateus 5:37). Neste caso, o namoro aprovado por Deus é algo certo, definido e não indeciso.  Quando o relacionamento é envolto por inseguranças e incertezas, algo está errado e precisa ser revisto, pois a dúvida não procede de Deus.  Por isso, ao relacionar-se sentimentalmente com alguém é preciso pedir ao Senhor a confirmação sobre o namoro.  Se não houver certeza, ore bastante e busque a direção de Deus e se preciso for, abra mão do relacionamento antes que alguém se machuque.  Jamais se relacione com alguém sem que haja essa confirmação, essa convicção sobre os seus sentimentos. Entenda que um casamento é para toda vida. Afinal de contas, você está namorando pensando no futuro, fazendo planos para formar uma família. Se a sua visão é apenas ficar, passar o tempo, reavalie profundamente os seus conceitos, pois este não é o plano de Deus para o namoro.  

Aos solteiros, aconselho a que não se atemorizem com o tempo, pois vale a pena esperar em Deus. E como descrito em Eclesiastes 3, existe um tempo determinado para todo propósito debaixo do céu. Assim, o melhor a fazer é buscar a Deus, crescer espiritualmente e profissionalmente. Enfim, adquirir maturidade em todos os aspectos para que quando chegar o tempo de construir uma família, você possa ter uma estabilidade espiritual, emocional e material.

Prª. Ioná Loureiro. Formada em Letras, autora de diversas reflexões bíblicas em sites evangélicos. Pertence a Igreja Apostólica Renascer em Cristo (Penha) – RJ

coração na mão

        Muitas jovens costumam me procurar para tirar suas dúvidas sobre a vida sentimental. Muitas delas dizem que está difícil, nos dias de hoje, conquistar um grande amor, ou seja, atrair a atenção do Isaque tão sonhado. Qual seria então a grande dica para conquistar aquele grande amor?

       Eu costumo dizer que um grande e verdadeiro amor se conquista com uma grande e verdadeira amizade, pois na verdade, o homem de Deus, está a procura de uma mulher que seja, acima de qualquer qualidade, sua grande amiga, uma verdadeira auxiliadora. Por este motivo, a grande arte da conquista está justamente ligada a uma voz amiga, sempre disposta a ouvir, interceder, ajudar, acompanhar. Muitas jovens acham que partindo para a sensualidade conseguirão atrair o homem de suas vidas. Se esquecem, no entanto, que o homem aprecia a sensualidade da mulher mas o que de fato conquista o seu coração é a presença de uma mulher forte, fiel, empreendedora, inteligente, que esteja disposta a estar do seu lado em todos os momentos, acalmando-lhe o coração quando preciso, dando-lhe suporte, enfim, uma mulher que lhe faça bem, com um perfil repleto de força, ousadia e disposição, como a mulher virtuosa descrita em Provérbios 31 “Mulher virtuosa quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis… Ela só lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida… Examina uma propriedade e adquire-a; planta uma vinha com o fruto de suas mãos. Cinge os seus lombos de força, e fortalece os seus braços” (Prov. 31:10, 12, 16 e 17). É esta a mulher que um homem procura. Uma mulher que lhe faça bem, que seja uma grande benção em sua vida.

        Por fim, vale dizer que o segredo para conquistar um grande amor é temer ao Senhor, pois Ele retribui a cada um segundo as suas obras. Ou seja, a mulher que teme ao Senhor, no tempo certo de Deus, conquistará o grande amor de sua vida, pois o Senhor é fiel. Por isso, nada de exageros ou falsos apelos na hora da conquista. Vale mesmo é ser amiga e exercer as qualidades de uma mulher virtuosa e certamente, se conquistará o coração de um grande amor, debaixo da benção e da direção de Deus.

Pr. Ioná Loureiro – Formada em Letras, autora de diversas reflexões bíblicas em sites evangélicos. Pertence a Igreja Apostólica Renascer em Cristo (Penha) – RJ.

DIP2009

O que é o Domingo da Igreja Perseguida?

O Domingo da Igreja Perseguida (DIP) foi criado pelo Irmão André, fundador da Portas Abertas, com o objetivo de unir cristãos em torno de um só motivo: nossos irmãos que pagam um alto preço por sua fé.

A data varia de ano em ano, pois é marcada para o domingo seguinte ao de Pentecostes. Esse critério foi adotado porque, no relato bíblico em Atos 4, o início das perseguições aos cristãos acontece logo após a descida do Espírito Santo, com a prisão de Pedro e João. Simbolicamente, pode-se dizer que essa foi a “fundação” da Igreja Perseguida.

Organizadores voluntários mobilizando igrejas para o DIP

Em 2008, 1.719 igrejas brasileiras participaram do DIP. Essa mobilização só foi possível graças à ação de voluntários – pessoas que conhecem a causa da Igreja Perseguida e se prontificam a divulgar, em suas igrejas e comunidades, as necessidades dos nossos irmãos perseguidos.

Em 2009, o DIP acontecerá no dia 7 de junho. Precisamos de sua ajuda para envolver um número maior de participantes. Até que todas as igrejas brasileiras conheçam a realidade dos cristãos perseguidos, não podemos nos acomodar!

Nos meses que antecedem o DIP, a Revista Portas Abertas publica suplementos e testemunhos que servirão de ferramenta para o organizador. Se você ainda não recebe a revista, veja aqui como é fácil tê-la todos os meses em sua casa.

Um dia inteiro de atividades: você escolhe a melhor para sua igreja

Um dia inteiro dedicado à oração e à lembrança desses irmãos que sofrem por sua fé! Irmãos que são exemplo de perseverança e de amor ao nosso Deus. As classes de escola dominical, as reuniões dos departamentos e os cultos desse dia poderão ser inteiramente dedicados ao DIP.

Esta é uma oportunidade para envolver adultos, jovens, adolescentes e crianças da Igreja brasileira com a Igreja Perseguida. E isso é feito por meio da oração e do relato de histórias e variadas situações vividas por nossos irmãos perseguidos.

 

Seja um organizador voluntário do DIP 2009

Você pode cadastrar seu nome como um organizador voluntário. Agende desde já o dia 7 de junho com seu pastor e ajude a divulgar a Igreja Perseguida em sua igreja. 

Clique aqui para confirmar sua participação!

 

Mais informações, acesse: www.portasabertas.org.br

bolafutebol

(1 Sm 17:1-51

Toda pessoa que torce por um time de futebol, lembra-se de uma daquelas vitórias inesquecíveis, de uma virada fantástica e muito emocionante nos últimos minutos, e que sempre gosta de lembrar como a grande virada do seu time do coração. 

Para nosso fortalecimento e encorajamento, foi relatada nas escrituras sagradas a grande virada envolvendo dois exércitos, duas nações, dois guerreiros. Sim, estamos falando do combate mais famoso da bíblia, envolvendo guerreiros que representavam suas nações, estamos falando de DAVI X GOLIAS

Vejo nessa história um exemplo clássico da guerra espiritual do crente que, diariamente, tem que enfrentar a satanás, representado pelo gigante filisteu. 

Antes de pensarmos na grande virada, pensemos na tática de guerra de Golias, para aprendermos como o diabo age contra o povo de Deus, o Seu exército nesse mundo. Os dois exércitos, dos filisteus e de Israel estavam acampados e preparados para a batalha, quando, inesperadamente, Golias, um gigante de 2,70 de altura se aproxima e desafia um guerreiro do exército de Israel, para uma batalha representativa: 

1. Ele quer intimidar com sua imagem gigantesca e assustadora (1-7) – Golias, um gigante fortemente armado, experiente nas batalhas, conhecido por suas vitórias esmagadoras sobre seus oponentes, apresenta-se e caminha até poder ser visto e ouvido por todos. Vejo aqui uma das artimanhas de satanás, querendo intimidar os soldados de Cristo, ele se apresenta como um gigante poderoso e assustador, com o objetivo de intimidar, e assim, tirar o guerreiro de Deus do combate.  

2. Ele quer afrontar os exércitos de Deus (8-10) – Eta sujeitinho folgado e arrogante esse Golias, o cara se acha demais da conta e, se sua aparência já era assustadora, imaginem quando, aos berros, ele levanta sua poderosa voz e começa a afrontar, não somente os soldados, como, também, o próprio Deus de Israel. Pois é assim que age satanás, ele usa de muitas maneiras para ofender, desafiar e humilhar os servos de Deus, e, consequentemente, o próprio Deus. 

3. Golias continua na ofensiva (16) – ele quer ganhar de goleada, por isso, durante 40 dias ele se levanta de manhã e à tarde, para afrontar os exércitos do Deus vivo. Vejam como o diabo faz, ele, enquanto permitem, vai avançando dia após dia e dominando o pedaço, e seu alvo é destruir a vida do servo de Deus, deixando-o sem coragem e sem forças para lutar, tirando-o permanentemente da batalha. 

4. Golias cresce e o exército de Deus diminui – Esse é o resultado, o gigante parece cada vez mais poderoso e imbatível, nessa altura do jogo, ele está sendo louvado e engrandecido por todos. Quando satanás consegue enfraquecer o exército de Deus, ele é, de certa forma, louvado e engrandecido. Esse é seu principal objetivo, impedir a adoração a Deus, e assim, ser ele adorado. 

PLACAR PARCIAL NO ESTÁDIO DO VALE DE ELÁ:

GOLIAS 80 X ISRAEL 0

Continua abaixo…

Pense:

Nessa batalha sua contra o gigante filisteu, quem está vencendo? Se for ele, não seria essa a hora da grande virada em sua vida?

Tuta Moraes

kaka-site

(Leia o artigo anterior “A grande virada”). 

(1 Sm 17:1-51

Ele não estava relacionado, nem para o banco de reservas, pois ainda não tinha idade para ser soldado oficial. Ele ainda era amador, do time da base, mas era uma promessa, alguém que, mais cedo ou mais tarde, seria o matador do time. Mas ele tinha uma coisa que nenhum dos soldados oficiais, nem o próprio rei Saul tinham, ele tinha “um coração segundo o coração de Deus”, na linguagem do futebol, lá estava um jogador diferenciado, algo com que o timinho de Golias não contava. 

Fico imaginando a arquibancada do inferno lotada, e toda capetaiada uniformizada dando gritos de vitória, balançando freneticamente suas bandeiras e gritando o nome, não do Golias, mas do diabo que estava por trás dele, quando Golias, o grandalhão abobalhado que estava ganhando de goleada volta a desafiar o Deus de Davi. Só que ele não sabia que uma revelação do time estava sendo treinado pelo próprio SENHOR DOS EXÉRCITOS e que estava prestes a entrar em campo e dizer – basta, é hora de virar o jogoÉ hora de por as coisas nos seus devidos lugares! Ôoo glória!  

Quando olho para as nossas igrejas tímidas, formalistas, acanhadas, acomodadas, negando o grande poder do Espírito Santo, negando até as artimanhas do diabo, não podendo louvar a Deus com liberdade de espírito, não pregando o evangelho que salva, que liberta e que transforma vidas, vejo o Golias crescendo pra cima de nós e ganhando de goleada pra vergonha nossa e tristeza do nosso Deus. 

Onde estão os Davis? Onde estão os verdadeiros gigantes da fé que ousam enfrentar qualquer diabo que apareça para afrontar o nome do nosso Deus? Mas espera lá, Davi só se apresentou para enfrentar o Golias, por que: 

1. Ele ficou indignado com a ousadia do Golias – Ele não aceitou a afronta diante do seu Deus, ele não podia engolir isso. Doía no peito ver o seu Deus ser envergonhado. 

2. Ele pediu pra entrar – Nessa altura do campeonato, ninguém queria entrar, e os que estavam dentro queriam mais era sair. Mas ele se apresentou pro jogo. 

3. Ele estava bem preparado – Notem que ele estava bem treinado, sua comunhão com o Pai era diária, ele se levantava antes do sol para buscar o Pai, para meditar na Sua palavra, para orar e clamar pelo Sua presença e socorro, ele louvava ao seu Deus o tempo todo. Ele já tinha matado um leão, um urso, e sabe mais o que, sua pré temporada tinha sido excelente! Sim, ele estava pronto pra fazer história.  

4. Ele era humilde – Ele não sabia usar as armas dos soldados, e não tinha vergonha de dizer isso, ele sabia usar a sua arma de um pastor de ovelhas, e pronto! Por isso, uma pedra bastou para liquidar o jogo – Deus usou sua habilidade! 

5. Ele tinha uma fé verdadeira – Todo crente que conheço diz que tem fé, mas a fé verdadeira faz com que nos apropriemos das promessas, faz com que paremos de olhar para o tamanho do inimigo, e comecemos a olhar para a grandeza do nosso Deus, e saber que DELE vem a vitória! 

6. Ele tinha ousadia e coragem, pois estava firmado na palavra – O Golias se aproximou dele fortemente armado, e aos berros o humilhou, mas ele olhou firme nos olhos vesgos daquele nó cego, e disse com firmeza – “Você vem contra mim com espada e com lança, mas eu vou contra ti em o nome do SENHOR DOS EXÉRCITOS, a Quem tens afrontado.”  

Em minha opinião, ele liquidou o Golias com essas palavras, pois gigantes como esse, não são derrotados por força humana, mas pelo poder da Palavra de Deus. Acho que Golias tremeu diante do verdadeiro gigante da história, e o que aconteceu depois? Ele não ficou acordado pra ver a grande virada!

Pense:

É mais fácil deixar como está, mas para um servo diferenciado que ama a Deus como você, as coisas não podem ficar como estão, estou certo? Vire o jogo meu irmão! Não deixe a seu Deus ser envergonhado e afrontado. Sujeite-se a Deus, e o diabo vai correr, ele vai fugir!

Tuta Moraes

faxina

O perdão é a cura das memórias, a assepsia do coração, a faxina da alma. O perdão é uma necessidade vital e uma condição indispensável para termos uma vida em paz com Deus, com nós mesmos e com o próximo. Uma vez que somos falhos e pecadores, estamos sujeitos a erros. Por essa razão, temos motivos de queixas uns contra os outros. As pessoas nos decepcionam e nós decepcionamos as pessoas.

É impossível termos uma vida cristã saudável sem o exercício do perdão. Quem não perdoa não pode adorar a Deus nem mesmo trazer sua oferta ao altar. Quem não perdoa tem suas orações interrompidas e nem mesmo pode receber o perdão de Deus. Quem não perdoa adoece física, emocional e espiritualmente. Quem não perdoa é entregue aos verdugos da consciência. O perdão, portanto, não é uma opção para o crente, mas uma necessidade imperativa.

O perdão é uma questão de bom senso. Quando nutrimos mágoa no coração, tornamo-nos escravos do ressentimento. A amargura alastra em nós suas raízes e produz dois frutos malditos: a perturbação e a contaminação. Uma pessoa magoada vive perturbada e ainda contamina as pessoas à sua volta. Quando guardamos algum ranço no coração e nutrimos mágoa por alguém, acabamos convivendo com essa pessoa de forma ininterrupta. Se vamos descansar, essa pessoa torna-se o nosso pesadelo. Se vamos nos assentar para tomar uma refeição, essa pessoa tira o nosso apetite. Se nosso propósito é sair de férias com a família, essa pessoa pega carona conosco e estraga as nossas férias. Por essa razão, perdoar não é apenas uma questão imperativa, mas, também, uma atitude de bom senso. O perdão alivia a bagagem, tira o fardo das costas e terapeutiza a alma.

Mas, o que é perdão? Perdão é alforriar o ofensor. Perdoar é não cobrar nem revidar a ofensa recebida. O perdão não exige justiça; exerce misericórdia. O perdão não faz registro das mágoas. Perdoar é lembrar sem sentir dor.

Até quando devemos perdoar? A Bíblia nos diz que devemos perdoar assim como Deus em Cristo nos perdoou. Devemos perdoar de forma ilimitada e incondicional. Devemos perdoar não apenas até sete vezes, mas até setenta vezes sete.

Por que devemos perdoar? Porque fomos perdoados por Deus. Os perdoados precisam ser perdoadores. No céu só entra aqueles que foram perdoados; e se não perdoarmos, não poderemos ser perdoados. Logo, todo crente em Cristo precisa praticar o perdão.

Quem deve tomar iniciativa no ato do perdão? Jesus disse que se nos lembrarmos que nosso irmão tem alguma coisa contra nós, devemos ir a ele. Não importa se somos o ofensor ou o ofendido. Sempre devemos tomar a iniciativa, e isso com humildade e espírito de mansidão. Precisamos entender que o tempo nem o silêncio são evidências de perdão. É preciso o confronto em amor. Há muitas pessoas doentes emocionalmente porque não liberam perdão. Há muitas pessoas fracas espiritualmente porque não têm a humildade de pedir e conceder perdão. Precisamos quebrar esses grilhões, a fim de vivermos a plenitude da liberdade cristã.

O perdão é a manifestação da graça de Deus em nós. Se nos afastarmos de Deus, nosso coração torna-se insensível. Porém, se nos aproximarmos de Deus, ele mesmo nos move e nos capacita a perdoar assim como ele em Cristo nos perdoou.

Rev. Hernandes Dias Lopes – 1ª Igreja Presbiteriana de Vitória (ES)

alegria-smile

A mágoa é um sentimento avassalador. Muitas pessoas são destruídas pela mágoa e vivem soterradas debaixo dos escombros de seus ressentimentos. Há indivíduos que perdem a alegria de viver por nutrirem amargura no coração. Elimeleque, Noemi, Malom e Quiliom enfrentaram duras circunstâncias em Belém, a casa do pão (Rt 1.1-22). Faltou pão na casa do pão. Aquela família para fugir da crise econômica, mudou-se para Moabe. Ao buscar sobrevivência e segurança em Moabe encontraram a carranca da morte. Em Moabe Noemi perdeu o marido e seus dois filhos (Rt 1.3-5). Agora, estava velha, viúva, pobre e sozinha em terra estrangeira. As circunstâncias pareciam conspirar contra ela. Seu coração encheu-se de mágoa. Logo que Deus mudou a sorte de Belém, Noemi resolveu voltar para sua terra. Nessa volta, ela expressou sua mágoa; mas, também, nessa volta Deus a restaurou e lhe abriu a porta da esperança. Como vencer a mágoa?

1. Olhe para o alto e saiba que Deus está no controle da situação – Noemi lançou a culpa de suas perdas sobre Deus. Ela disse que Deus havia descarregado sobre ela a sua mão (Rt 1.13). Ela afirmou que o Todo-poderoso havia lhe dado grande amargura (Rt 1.20). Ela disse que havia partido ditosa de Belém, mas o Senhor a havia feito voltar a Belém pobre (Rt 1.21a). Ela acusou Deus de ter se manifestado contra ela e tê-la afligido (Rt 1.21b). Noemi olhou para Deus como o causador de sua dor. Ela entendeu que Deus era o protagonista e responsável por todo o seu sofrimento. Na sua leitura, Deus estava contra ela e não ao seu favor. A sua mágoa mais profunda não era por causa de suas perdas, mas porque Deus estava pesando a mão sobre ela. Noemi olhou para vida pelo lado avesso. Ela não discerniu o propósito soberano de Deus que se desenrolava na sua vida e através da sua vida. Deus estava escrevendo um dos capítulos mais emocionantes da história da humanidade através daquela pobre viúva, a fim de que ela fosse avó do grande rei Davi, tronco de onde nasceria o Messias, o Salvador do mundo.

2. Olhe ao seu redor e saiba que há pessoas que amam você verdadeiramente – Quando Noemi já velha, viúva, pobre e sozinha voltava para Belém, sua nora Rute, viúva de Malom, demonstra a ela, de forma eloqüente, um acendrado amor. As palavras de Rute a Noemi são relembradas com grande emoção ainda hoje nas cerimônias de casamento: “Aonde quer que tu fores, irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus. Onde quer que morreres, morrerei eu e aí serei sepultada; faça-me o Senhor o que bem lhe aprouver, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti” (Rt 1.16,17). Quando estamos amargurados deixamos de perceber a beleza e a profundidade do amor que as pessoas nos dedicam. A vida nunca é um deserto quando somos consolados pelo bálsamo do amor. A amargura e o amor não podem co-existir. O amor transforma o vazio da solidão na plenitude da alegria.

3. Olhe para frente e saiba que Deus pode transformar suas tragédias em triunfo – Noemi pensou que o seu destino era sofrer. Ao chegar de volta em Belém resolveu trocar de nome (Rt 1.20).. Noemi significa “ditosa, feliz”. Ela pediu para ser chamada de Mara, “amargura”. Ela queria levantar um monumento definitivo para celebrar a sua dor. Ela estava olhando pela lente do retrovisor, só relembrando suas perdas e suas desventuras. Mas, Deus transformou suas tragédias em triunfo. Rute casou-se com Boaz, um parente rico e remidor (Rt 4.9,10). Desse casamento nasceu Obede, pai de Jessé, pai de Davi (Rt 4.17). Rute fez parte da árvore genealógica de Jesus, o Messias (Mt 1.5). Deus enxugou as lágrimas de Noemi, restaurou sua sorte e colocou em seus lábios um cântico de vitória. As mulheres de Belém disseram a Noemi: “Seja o Senhor bendito, que não deixou, hoje, de te dar um neto que será teu resgatador, e seja afamado em Israel o nome deste. Este será restaurador da tua vida e consolador da tua velhice, pois tua nora, que te ama, o deu à luz, e ela te é melhor do que sete filhos” (Rt 4.14,15).

Rev. Hernandes Dias Lopes – 1ª Igreja Presbiteriana de Vitória (ES)

Anúncios